Programação
 › Algoritmo  › C/C++  › Java
Web
 › HTML/XHTML  › JavaScript  › PHP
Sistema Operacional
 › Comandos de DOS  › Windows  › Linux  › Mac/BSD
Office
 › Word / Writer  › Excel / Calc
Áreas do Site
 › Download  › Fórum  › Blog
Recomendamos
Computadores e Informática em Lisboa
TI Expert » Programação » C/C++ » Include e as Bibliotecas

Include e as Bibliotecas

Como já vimos, a linguagem C tem a capacidade de importar bibliotecas.

A importância da biblioteca em C é imensa, pois ela nos poupa de muita programação. Uma vez que a função já está pronta dentro da biblioteca, basta importar tal biblioteca e utilizar a função que queremos.

Por exemplo, se você quiser mostrar uma mensagem na tela, você não tem que produzir uma função inteira ou criar um comando novo, basta importar uma biblioteca de I/O (entrada e saída) e utilizar uma função dela. Quando for compilar, o compilador vai buscar nas bibliotecas tais funções para saber como utilizá-las.

O papel do pré-processamento é indicar, antes mesmo de compilar, os parâmetros necessários para ser criado o arquivo executável.

O pré-processamento é indicado pelo caracter sharp (#) no inicio da linha e deve ser usado no início da programação.

Importando uma biblioteca

A importação de uma biblioteca é dada pelo comando INCLUDE (incluir) seguido da biblioteca entre os sinais de menor (<) e maior (>).

Porém, devemos notar que existem diferenças entre a importação de bibliotecas de C e de C++.

Importando uma biblioteca em C

Em C, a importação de bibliotecas são mais simples, bastando acrescentar para cada biblioteca um include em uma linha diferente e o nome da biblioteca seguido de ponto H (.h) - .h é a extensão do arquivo da biblioteca que vem da palavra inglesa HEADER (cabeçalho) - se você esquecer de colocá-lo o programa não será compilado.

No exemplo abaixo, vamos incluir duas bibliotecas padrões de C.

#include <stdio.h>
#include <stdlib.h>

Como podem ver, cada biblioteca foi incluída em uma linha.

Importando uma biblioteca em C++

Em C++, a importação de bibliotecas é um pouco diferente. O comando de importação continua sendo o include, mas nesse caso, não usaremos o ponto H (.h) no final das bibliotecas legitimamente* de C++.

*Muitos compiladores aceitam formas híbridas de inclusão de bibliotecas, podendo misturar bibliotecas de C e de C++. Veremos um exemplo mais a frente.

Após importarmos uma biblioteca por linha, no final dessa lista devemos demonstrar que tipo de funções usaremos. Na grande maioria dos casos usaremos as funções padrões de cada bibloteca. Podemos fazer isso facilmente digitando a palavra reservada USING* indicando o espaço de nome (namespace) standard (std), que quer dizer padrão em inglês.

Não se esqueça que a palavra reservada USING necessita terminar a linha com ponto e vírgula(;).

Abaixo importaremos uma biblioteca padrão de entrada e saída de C++.

#include <iostream>
using namespace std;

No exemplo abaixo uma importação híbrida de bibliotecas de C e C++.

#include <stdlib.h>
//biblioteca de C
#include <iostream> 
//biblioteca de C++
using namespace std;

As bibliotecas de C são diferentes das bibliotecas de C++. Apesar de muitos compiladores de C++ suportarem as bibliotecas de C, nenhum compilador exclusivamente de C suporta bibliotecas de C++.

Creative Commons License
Autor: Denys William Xavier
Este artigo está sob Licença Creative Commons.

Faça o download da versão em PDF Indique nosso site Gostou?
Indique nosso site!
Este artigo foi
lido 170376 vezes
Bookmark e Compartilhe

Páginas Relacionadas

Enquete
O Google Chrome OS irá desbancar o Microsoft Windows 7?
» ProgramaçãoAlgorítmo | C/C++ | Java

» WebHTML/XHTML | JavaScript | PHP

» Sistema OperacionalComandos de DOS | Windows | Linux | Mac/BSD

» OfficeWord/Wirter | Excel/Calc

» Áreas do SiteDownloads | Fórum | Blog